Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2014

Rinha de Gente.

Há quem critique a paixão que o brasileiro tem pelo futebol. Mas que fenômeno interessante se dá num país onde as tradicionais paixões do povo estão decadentes! Pois a partir daí ocorre uma série de transferências absurdas. A mais terrível delas na minha opinião, está neste partidarismo exacerbado! Não se engane, pois o que se vê por aí não é gente preocupada com o bem estar coletivo ou o crescimento do país. O que vejo é gente fanática que tá se lixando para o povo brasileiro, a quem pouco importa as pessoas, se elas não seguem a sua sigla! Que se danem os outros!, pois são burros, ignorantes, irracionais...
    Tem vizinho que tá de cara feia com outro que apoiou o candidato de oposição! Tem amigo se xingando nas redes sociais e tem familiares se ressentindo por discussões à mesa do almoço dominical.
    Eu não fecho os olhos para a política. De olhos bem abertos eu a julgo podre e carente de heróis( como tantas outras áreas no país,infelizmente), mas nem por isso vou inventá-los.…

Sentimentos de Fim de Ano.

Imagem
Eu não deixo de pensar, especialmente aos finais de ano, que o tempo me venceu um pouco. Eu resisti muito ao desgaste, como boa rocha que sou. Mas  muitas promessas eu não consegui manter.
     Eu ainda me lembro dos sentimentos ideais que eu tive e que eu não deveria perder. Eu lutei por eles. Mas o fato é que hoje em dia o olho brilha menos, e mesmo o meu sorriso mais espontâneo tem alguma sombra.      Este fatal exercício de finalmente olhar  para aquilo que ao longo dos dias evitamos é algo típico destas datas. Hoje é um dia em que eu me encaro me estranhando um bocado!, pois vejo o quanto eu sou menor agora. Menor em fé, em esperança, em confiança... Temer e duvidar são verbos comuns pra mim. Mesmo tendo experimentado a satisfação, o êxito e a alegria neste ano de 2014, a PAZ em si foi coisa rara.  Eu acho que é o momento de me fazer algumas perguntas finalmente; Preciso saber de quais coisas eu tenho culpa e de quais não. Preciso saber se existe uma legítima razão para esta m…

54 segundos

Acho que é preciso ser um sábio para se estar plenamente feliz.
   Eu antes achava que a minha alegria ( pois da alegria eu sei  bem; da felicidade tive só vislumbres), eu achava que ela era meio burra, porque alegre eu não conseguia escrever uma frase. Pelo menos, nada tão bonito quanto as coisas que eu compunha na tristeza, na fossa. Mas eu estava errado. Não é isso não! a alegria é esperta e ligeira. Tem malemolência e conhece os atalhos. Ela é um pivete que sabe se virar bem, e se puder crescer, vai se tornar a "felicidade sábia" da qual eu me referia antes.    E eu achando a felicidade burra! Burro sou eu que não a entendia.     Mas essa introdução toda, foi só pra tentar explicar uma coisa que "eu não sei explicar": este sentimento raro de alegria genuína por uma notícia tão linda que eu recebi hoje.    Acho que os meus valores, assim  como os valores de todo o mundo ocidental, andam meio distorcidos, mas eu ainda sei  reconhecer uma coisa realmente import…